segunda-feira, abril 23, 2012

"Lisboa em Pessoa" - Uma Apreciação Crítica

"Lisboa em Pessoa" é uma recente edição inspirada no guia turístico (alegadamente) escrito por Fernando Pessoa para o mercado Britânico em mente. João Correia Filho, ao autor, Brasileiro e jornalista de formação, criou um guia turístico literário que vai além do guia construído por Pessoa, ao incluir nomeadamente percursos por áreas que Pessoa não explorou (algumas, como as mais modernas da cidade, porque naturalmente não o podia fazer). 

Um primeiro aspecto a destacar é a qualidade gráfica desta edição. O papel usado é de grande qualidade e impressiona a qualidade das fotografias, coloridas e fugindo aos clichés de outras edições. É muito curioso também o arrojado arranjo gráfico que consegue, simultaneamente, manter-se conservador e moderno - um pouco à semelhança de Pessoa. O livro organiza-se em 8 roteiros diferentes, com três roteiros extra - um referente a Eça de Queirós, outro a Sintra e o final aos cafés da capital. 

Em cada um dos roteiros principais são feitos destaques às atracções de maior relevo, com textos concisos, mas bem escritos e descritivos o suficiente para elucidar o leitor e não o cansar. Uma nota mais negativa para o roteiro dos cafés, que me pareceu bastante pobre comparado com os outros, com quase nenhumas fotografias e pouco espaço dedicado também em termos de texto. Não se percebe bem se foi um acrescento de última hora e o porquê da desconexão com o resto do livro em termos gráficos. Para arredondar as críticas eu diria que um turista - pelo menos o mais incauto - será o único a querer conhecer a cidade através da música dos Madredeus e da Amália. 

Será de perguntar se muitos lisboetas ouvem já estes sons ou se alguma vez os ouviram com muita atenção. Será o mesmo que ter de ouvir flamengo quando se vai a Espanha - pode ser interessante e mesmo apropriado, mas não necessariamente o "som do país" ou mesmo da cidade... O livro em si também me pareceu demasiado pesado - fisicamente pesado - para poder servir de guia prático de Lisboa. 

No entanto, e em resumo, a edição é muito cuidada e extraordinariamente descomprometida, quase parecendo ter sido escrita por um Lisboeta (e em certa medida foi, pelo menos baseada na escrita de um Lisboeta). Definitivamente recomendada a todos os que queiram conhecer melhor Lisboa pela literatura. 

Um agradecimento à Porto Editora pelo envio de um exemplar para análise.