segunda-feira, janeiro 02, 2012

"Sebastianismo e Quinto Império" - Uma Apreciação Crítica



A Ática continua a publicação de obras de excelente qualidade, dentro da colecção "Obras de Fernando Pessoa | Nova Série", desta vez com o volume "Sebastianismo e Quinto Império", uma edição a cargo de Jorge Uribe e Pedro Sepúlveda.

A equipa de jovens investigadores reunida pelo Prof. Jerónimo Pizarro continua a sua missão (certamente em igual medida sofrida e recompensadora) de re-explorar o espólio de Fernando Pessoa com vista à reorganização da obra já publicada bem como pretendendo desvendar novos documentos inéditos. Aliás, esta edição traz um volume muito interessante de material até aqui não publicado, mais precisamente 43 textos inéditos, entre os quais se destaca um conjunto de 21 páginas que constitui um ensaio sobre o "Quinto Império".

Não é novidade que Pessoa tinha um grande interesse no Sebastianismo e no "Quinto Império" enquanto temas fortes do seu projecto de reanimar a alma Portuguesa. No entanto os presentes editores afirmam que o interesse de Pessoa, mais do que pontual, sublinhava uma espécie de influência contínua na sua obra, pelo menos desde o seu regresso a Portugal. Não é estranho a este sentimento o facto de Pessoa se sentir sempre um "estrangeirado", tentando muitas vezes compensar o facto de vir de fora com um exacerbado nacionalismo (que no entanto por vezes, e paradoxalmente, não se encontra deslocado numa época muito conturbada da política nacional).

O fascínio de Pessoa com estes temas ocultos da nacionalidade é dividido neste volume em duas grandes partes: Sebastianismo e "Quinto Império". Os editores tentaram organizar os textos dentro de cada grande tema por subtemas, de alguma forma dando uma coerência cronológica (possível) aos mesmos, o que nos permite uma quase leitura linear dos mesmos, como se estes fossem integrados dentro de um projecto editorial real. É assim possível compreender a evolução da própria interpretação do fenómeno Sebastianista, por exemplo, enquadrado quer na visão "corporativista" dos grupos a que Pessoa chegou a pertencer (de algumas revistas), quer na sua própria posição pessoal e solitária.

Percebe-se também melhor a intenção interventiva de alguns dos textos - e como os outros os fundamentos como alicerces. O projecto oculto de Pessoa, que está na base do seu projecto maior de reinvenção da alma Portuguesa e do próprio projecto nacional, acaba por desaguar na sua única obra publicada em vida em língua Portuguesa e este volume ajuda-nos a perceber o porquê disso ter acontecido e dessa ter sido uma preocupação no final da sua vida.

Para quem não conhece os textos ocultos de Pessoa esta é uma excelente introdução ao tema. Isto embora a colocação na mesma edição de semi-projectos tão diversos possa causar alguma confusão. Por exemplo o facto de poder ler sobre as trovas de Bandarra ou sobre as quadras de Nostradamus, poderá levar o leitor menos atento a considerar na mesma categorias os restantes escritos sobre D. Sebastião - ou seja, numa categoria de uma crença profética teórica e afastada de qualquer noção de realidade imanente. Penso que não devemos pensar assim, porque existem alguns temas, nomeadamente os dois que referimos, que acabam por ser auxiliares aos restantes e devem ser lidos dessa forma.

Como noutros volumes da mesma colecção, destaca
mos ainda as dimensões reduzidas que no entanto "escondem" uma edição muito completa, destacando-se os apêndices e as notas genéticas - que a distinguem das comuns edições neste formato.

Trata-se, em resumo, de mais um grande esforço editorial que é muito bem vindo, refrescando e actualizando o nosso conhecimento dos textos de Pessoa sobre D. Sebastião e o "Quinto Império". A colecção da Ática está assim a tornar-se essencial para o conhecimento da obra do poeta no Século XXI.

Ps: é possível ouvir uma curta entrevista a Jorge Uribe, sobre esta obra, aqui.

Esta obra já está disponível para compra aqui.

Um agradecimento à Editora Ática pelo envio de um exemplar para análise.