sexta-feira, maio 13, 2011

"Cartas Astrológicas" - Uma Apreciação Crítica



Raramente assistimos, devido sobretudo à quantidade esmagadora de edições nos últimos anos, à saída de um título verdadeiramente original sobre Fernando Pessoa. Mas no caso presente podemos afirmar, sem grandes dúvidas, que este livro é realmente um título original. Isto porque a vertente astrológica da vida e obra de Pessoa tem sido, talvez ao lado do lado filosófico e esotérico, a menos explorada pelos investigadores. Poucos inéditos foram publicados desde a morte do autor e ainda menos estudos.

Paulo Cardoso foi-se dedicando, desde os anos 80, a esse mesmo estudo. Embora não tenha entretanto publicado muito - apenas dois livros "finos" - o presente volume mostra bem que ele, mesmo sem publicar, atingiu já seguro domínio da matéria que nos apresenta. Ao seu lado contou com a ajuda rigorosa de Jerónimo Pizarro, que mais uma vez deixa a sua marca nos estudos Pessoanos modernos.

"Cartas Astrológicas" centra-se precisamente nisso - em alguns das mais representativos estudos astrológicos feitos por Pessoa, em redor sobretudo de figuras históricas ou de amigos mais ou menos próximos. Paulo Cardoso foi cauteloso nesta sua primeira edição "a sério" sobre a astrologia Pessoana e penso que bem, focando-se no essencial e não indo pela tendência fácil de lançar inéditos sem o tempo e espaço necessário para nos dar a compreensão em redor dos mesmos. Aliás, esse é precisamente o problema de qualquer edição dos inéditos astrológicos - a opacidade do tema perante o mais comum dos leitores. Cardoso consegue, e bem no meu entender, passar do complexo para o simples e traz-nos mesmo várias camadas muito agradáveis de análise.

Devo dizer que existem várias notas de surpresa, que vão certamente satisfazer todos os Pessoanos que lerem este livro. Destaco algumas: Pessoa era, de início um céptico em relação à astrologia, pedindo horóscopos a estrangeiros que versavam sobre ele mesmo ou sobre figuras históricas. O objectivo? Testar a astrologia e começar a estabelecer comparações entre ele e essas figuras (como Shakespear, Bacon e Wilde). Havendo dúvidas em relação à sua hora de nascimento, o poeta tentou suplantá-las com a ajuda desses "peritos". Mas rapidamente o seu cepticismo inicial se transformou em fascínio. Ele usa amplamente a astrologia na criação dos heterónimos (correspondendo cada um dos heterónimos principais, e ele mesmo, a um elemento) e toma decisões diárias baseando-se num método avançadíssimo denominado Astrologia Horária.

Fascinante é também o interesse de Pessoa pela data da sua própria morte. Devo dizer que ainda não tinha visto o documento relativo a esta previsão - de que tanto se fala, mas que acaba por ser mencionada em passagem, sem grande precisão. Paulo Cardoso inclui-o na página 65 e é razão bastante para adquirir o livro, sem mais. A análise de Cardoso, sempre simples e simultaneamente rigorosa, ajuda ainda o leigo a entender os pressupostos por detrás de todos estes estudos.


Embora o livro acabe por ser uma compilação de horóscopos de personalidades variadas feitos por Fernando Pessoa, ele resume-se a algo mais do que isso - é a primeira edição séria sobre a astrologia Pessoana. Um verdadeiro marco e um livro indispensável em qualquer estante Pessoana. Recomendamos vivamente que o comprem e leiam com atenção, porque nos dá um vislumbre interessantíssimo sobre uma vertente muito pouco explorada de Pessoa. Esperamos que seja o princípio de um caminho ainda longo para Paulo Cardoso, porque há muito ainda por publicar e certamente ele é o homem certo para esta missão, como fica bem demonstrado com este primeiro (ainda que não inicial) esforço.

O livro pode ser adquirido online neste link.

Agradecimentos à Bertrand pela disponibilização de um exemplar para análise.