segunda-feira, dezembro 20, 2010

"Canções" de António Botto - Uma Apreciação Crítica



Na continuação de um extenso projecto editorial planeado por Fernando Pessoa para a sua editora Olisipo, continuamos a divulgar obras, agora lançadas pela Editora Guimarães, no espírito desse mesmo planeamento.

"Canções" foi provavelmente o livro mais polémico lançado pela editora Olisipo, que esteve ela própria em actividade muito pouco tempo. No entanto tempo suficiente para lançar o que seria um dos livros mais arrojados do seu tempo - sobretudo derivado do facto do seu autor ser abertamente homosexual, nos anos 20, em Portugal.

A relação entre Pessoa e Botto é muito curiosa. É certamente uma relação de arte, mas que parece ter, pelo menos em alguns momentos, passado para um nível de admiração pessoal mútua, e talvez mais ainda do que isso. As reacções e actividades de Pessoa (e dos seus heterónimos, sobretudo o dramático Campos) é um sinal óbvio do fascínio que Botto gerou em Pessoa, provavelmente devido à sua personalidade extrovertida e polémica.

Parece evidente também - pelos estudos que Pessoa dedicou a Botto - que o fascínio foi racionalizado, sobretudo pela visão estética do poeta da "Mensagem". Pessoa aproxima Botto, não da modernidade poética, mas da herança Helénica, que destila na poesia as máximas da força da vida, sobretudo no que diz respeito à beleza sem divisão de sexos, sem moral cristã. (Mesmo que Álvaro de Campos diga precisamente o contrário, o "Aviso por causa da Moral" é bem prova do papel que a amoralidade estética desempenha em todas estas movimentações).

Seja como for, a polémica em volta de Botto, Pessoa vive-a, usando uma expressão Inglesa que me parece mais apropriada que qualquer expressão Portuguesa - vicariously. Sempre tive a noção que ele gostou imenso do episódio da apreensão dos exemplares das "Canções", e que se viu ele próprio no lugar do polemista, que lhe agradava tanto.

Tudo isto se pode ler nos documentos incluídos na presente edição, que muito enriquecem a compreensão do texto propriamente dito - e da razão da tradução que Pessoa fez desse texto para o Inglês (também incluída). De facto a grande valia desta colecção da Guimarães tem sido este excelente enquadramento de factos, sempre suportados documentalmente, e que, não indo a um nível científico exagerado, permitem ao leitor médio entrar nos eventos particulares da vida de Fernando Pessoa que o terão considerado levar estas obras específicas para o seu plano editorial.

Por isso é mais uma vez com grande prazer que recomendamos a aquisição de mais esta obra, editada primorosamente por Jerónimo Pizarro e Nuno Ribeiro, na colecção Olisipo da Guimarães Editora, e à venda exclusivamente nas lojas Fnac.

Este livro já pode ser adquirido online, neste link.

Agradecimentos ao Professor Jerónimo Pizarro pela disponibilização de um exemplar para análise.